Aqueduto de Santa Clara

Dados do Património
Nome: Aqueduto de Santa Clara

O projecto do novo aqueduto de Santa Clara, construído a partir da nascente de águas descoberta na Cruz de Morouços (Granja), foi entregue ao arquitecto Manuel Alves Macomboa na década de 80 do SéculoXVIII.
Na base deste projecto, terá estado uma insuficiência de abastecimento de águas ao Mosteiro de Santa Clara-a-Nova. As obras teriam começado em 1783, uma vez que o arquitecto já então trata de problemas relacionados com o aqueduto (CRAVEIRO, 1990). Datam de 1789 dois planos do trajecto do aqueduto e sua constituição, localizando-se neles algumas casas, inclusive a casa do próprio arquitecto Macomboa. 
Em 1798 rasga-se o último monte, mas os trabalhos prolongam-se pelo ano de 1799, existindo uma referência a um mestre canteiro que executa a obra de alvenaria para o mesmo aqueduto.
As obras sofrem um atraso e vão-se arrastando ainda pelos inícios do Século XIX, existindo uma outra referência ao dia 20 de Julho de 1802 por parte da Junta da Fazenda, que publica o seguinte aviso: "A Junta da Real Fazenda desta Universidade por despacho de dezassete de Julho Corrente, houve por bem conceder duzentas carradas de cal para não parar a obra do Aqueduto do real Mosteiro de Santa Clara, afim de hir continuando a dita obra, enquanto a mesma Junta não dá outras Providências".
Como mestre responsável desta obra e, também, de outras obras de Santa Clara, Manuel Alves Macomboa, veria acrescidos ao seu vencimento, 200 reis diários bem demonstrativos da importância do papel que tinha no conjunto das obras. (AMântua).
O aqueduto foi classificado pelo IPPAR como Monumento de Interesse Público pelo 5/2002 DR 1ª Série –B, de 19-02-2002.