Fornos da Cal

Dados do Património
Nome: Fornos da Cal

Quando se chega às imediações da Rua Milagre das Rosas, na sua confluência com a Rua Dr. Rui Braga Carrington da Costa, deparamos, ao lado esquerdo, com a Casa do Forno que, nos nossos dias, faz parte do piso térreo de uma habitação. Entre esta e a rua existe um jardim com muro. 
De origem medieval, data de mil duzentos e vinte e oito, quando, por ordem de Dona Mor Dias se edificou esta estrutura onde se obteria a chamada cal viva, por calcinação do carbonato de cálcio, para ser usada na construção do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha.
A fachada, virada para o jardim, possui uma única porta em forma de arco. O seu interior é composto por um espaço único, sem janelas, feito de pedras de grandes dimensões dispostas em fileiras. 
Nos seus primórdios, a cobertura deveria ser em forma de cúpula. Para além desta, já não existe o característico corredor, típico neste género de edificações, que daria acesso ao forno.
 Em mil seiscentos e quarenta e oito, é reconstruída para servir, desta feita, como apoio às obras do novo convento que se ergue no monte da Esperança, o Convento de Santa Clara-a-Nova.
 A outra alteração relevante ocorre na década de trinta do século vinte, aquando da construção da habitação que hoje existe sobre esta estrutura medieval.