Caracterização

A União das Freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, constituída em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, pela agregação das antigas 
freguesias de Santa Clara e Castelo Viegas, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias), Diário da República, 1.ª Série, n.º 19.
.
SANTA CLARA 
Confronta com as freguesias de São Martinho do Bispo, Castelo Viegas, Assafarge, Antanhol e com as freguesias de Santo António dos Olivais, Almedina e Santa Cruz pela margem do Rio Mondego.
 
A data da criação da freguesia 1850 foi considerada juntamente com a freguesia de Santo António dos Olivais uma freguesia inteiramente urbana.
 
Do Extracto da descrição elaborada em 1983 os limites da freguesia são:
-Começando a meio do Rio Mondego e á esquerda da ponte do caminho-de-ferro que vai para Bencanta, segue ao longo deste até à Ribeira dos Covões;
-Vai ao longo da Ribeira dos Covões, sempre à esquerda e para sul, até á Rua Adelino baptista, em Ribeira da Póvoa;
 
-Percorre um pouco a continuação da Rua Adelino baptista, para leste, e depois inflecte para sueste, pelo Caminho das Vinhas que se dirige ao Bordalo e até ao cruzamento da EN 341 e a Rua 10 de Junho, do Bordalo;
-Inflecte para sudoeste, subindo até ao marco geodésico Pombal, da Póvoa, atravessa uma estrada, e desce direito ao caminho que passa na Quinta da Vinha Moura;
 
- Segue ao longo do caminho, inflectindo, no Pinhal das Lágrimas, para sueste até Cruz dos Morouços, inflecte novamente para sul, pelo Casal das Fontaínhas, cruza a EN1, na Quinta da Bicha e continua sempre ao longo do caminho até ao cruzamento com a estrada, (que se dirige para Carvalhais de baixo) onde inflecte para este;
 
-Continua até ao caminho que se dirige para norte, passando pela Quinta do Pinheiro e até à Quinta do canal, onde volta a inflectir para sul, até um caminho que vai para os Pereiros;
 
-Inflecte depois para Leste, sul, norte e outra vez leste e norte, por um trajecto irregular e mal definido que, depois de atravessar a EN 110-2, vai até meio do Rio Mondego;
-Desce sempre pelo meio do Rio Mondego até à ponte de caminho de ferro. 
.
CASTELO VIEGAS
A freguesia de Castelo Viegas localiza-se a Sudeste do concelho de Coimbra, distando cerca de 7 quilómetros da sede do concelho, sendo constituída pelos lugares de Castelo Viegas, Casal de S. João, Conraria, parte de Vale de Cabras e Marco dos Pereiros. 
 
Os seus limites confinam, a Norte, com Santo António dos Olivais, servindo o rio Mondego de fronteira natural, a Noroeste com Santa Clara, a Oeste com Assafarge, a Sul com Almalaguês e a Este com Ceira..
O território está organizado em valeiros, com retalhos de terrenos e povoamento concentrado.
 
A maior parte da população desta freguesia trabalha em Coimbra. Este facto pode ser facilmente comprovado através dos movimentos quotidianos que os residentes efectuam entre casa e o local de trabalho. 
 
Cada vez mais a freguesia é procurada como local de residência, notando-se através do aumento significativo da construção de moradias que se tem verificado sobretudo nos Pereiros, Casal de S. João e Quinta da Madalena. A proximidade de Coimbra, o preço dos terrenos, as acessibilidades e a beleza paisagística são, concerteza, os factores que mais têm contribuído para a fixação da população nos últimos anos.
 
A maior parte da população activa da freguesia pertence ao sector terciário (62%), seguindo-se os sectores secundário (35%) e, por último, o primário (3%). Assim sendo, a maior parte da população da freguesia exerce uma actividade relacionada com os serviços. 
 
Como o relevo da freguesia é bastante acidentado, a dimensão das parcelas agrícolas é reduzida. Portanto, a paisagem agrária dominante é de minifúndios, onde os agricultores a tempo parcial cultivam sobretudo produtos hortícolas (batatas e couves), frutícolas (citrinos), milho, vinha e olival.
 
Há algumas quintas onde a agricultura e a pecuária têm grande importância, destacando-se a da Conraria, na margem esquerda do rio Ceira, a Quinta da Cavada, a Quinta de S. Jorge e a Quinta da Srª do Carmo, na margem esquerda do Mondego e ainda a da Urgeiriça. Nestas quintas existem estufas e viveiros, sendo já praticada a agricultura biológica nalgumas explorações.
 
No que concerne às actividades pertencentes ao sector secundário, é de salientar que existem algumas indústrias, designadamente, do calçado, mobiliário, carpintaria e serralharia; há a subestação de Pereiros da Rede Eléctrica Nacional (REN); empresas de construção civil e obras públicas; de climatização, electricidade, saneamento e esgotos; e oficinas de reparação de bicicletas, motas e automóveis.
 
O sector terciário tem verificado algum crescimento nos últimos anos, destacando-se as áreas comerciais (padarias, mercearias, cafés, restaurantes, talho, farmácia, papelaria, comércio de móveis, pronto a vestir, loja de ferragens, loja de produtos agrícolas, loja de móveis), serviços de educação (escolas do ensino básico do primeiro ciclo de Castelo Viegas e de Pereiros, e Escola Superior Vasco da Gama), posto de correios, serviços de saúde (extensão do centro de saúde, Hospital de Sobral Cid, dentista e recolhas para laboratório de análises clínicas), cabeleireira, fotógrafos, agência funerária e stand de automóveis.