Roteiro Turístico

SANTA CLARA
A freguesia de Santa Clara apresenta um conjunto de valores tão marcadamente históricos e culturais que não podemos deixar de sublinhar o peso que alguns deles exercem sobre Coimbra e, mais do que isso, sobre o País, a Europa e o Mundo.
 
Geograficamente inscrita na margem esquerda do rio Mondego e em toda a bordadura do Monte da Esperança, Santa Clara é o miradouro privilegiado donde se olha, com entusiasmo, toda a cenografia urbana que envolve a Universidade, a Sé Velha, a Baixa Coimbrã, a zona das Couraças e muralha, a Portagem, o Botânico, Montarroio ou a Ínsua dos Bentos.
 
Mas Santa Clara é muito mais do que uma encosta e um aprazível miradouro. É também um rossio, um pequeno choupal, um agradável espaço onde a planura foi, durante anos e anos, marcada por extensos laranjais.
 
A sua malha urbana contem as notáveis arquitecturas de Santa Clara-a-Velha, de S. Francisco e de Santa Clara-a-Nova, bem como a Capela da Senhora da Esperança, a Cordoaria, a Quinta das Lágrimas, o Portugal dos Pequenitos.
 
Santa Clara é a freguesia com mais património de Coimbra a nível nacional. Santa Clara tem, para além do património histórico, arquitectónico, o património nacional e também internacional que é o conservatório de Santa Clara e o Portugal dos Pequenitos. Portugal dos Pequeninos enriquece-nos porque possui amostras das colónias, da Torre de Belém, da Universidade, as casinhas tipicamente portuguesas mas, em tamanho pequeno. Com olhos de cultura, este espaço está rodeado por colunas que têm brasões de todas as cidades portuguesas em pedra talhada. Dentro do Portugal dos Pequenitos, tem toda a história dos descobrimentos e possui dois componentes que quase ninguém lá vai por ter que se pagar mais para visitar estes dois museus, são eles: o Museu do Traje e o Museu da Marina, que merece ser visitado.
 
Possui também um museu militar, que merece ser visitado, pois é lá onde se encontra o primeiro computador; possui conventos franciscanos. Nesta freguesia também foram encontradas ossadas dos primeiros habitantes em Portugal porém, encontram-se na Figueira da Foz.
 
Santa Clara é uma freguesia muito rica em património. Pode ver-se: o Convento de Santa Clara-a-Velha; Convento de Santa Clara o Novo; Convento de São Francisco, Convento da Rainha Santa; Portugal dos Pequenitos; Observatório Astronómico; muitas capelas; pontes Urbanas. Cada vez mais as cidades têm que ser acolhedoras de pessoas, nomeadamente de estudantes, visto termos aqui uma Universidade. Para isso, tem que haver infra estruturas adequadas às necessidades da população. Crescendo assim o património urbano com a cidade. 
A nossa maior riqueza é o património religioso e habitacional da monarquia. Santa Clara tem necessidade de crescer, mas também queremos dar a conhecer o património que possuímos. 
.
CASTELO VIEGAS
Património histórico: Igreja Matriz de Castelo Viegas, Convento de S. Jorge de Milréus, Capela de S. Pedro, Capela de Santa Luzia, Capela de Nossa Senhora da Natividade, Capela de S. João, Casa e Capela da Quinta da Conraria, Fonte do Ribeiro, Santo Cristo e Cruzeiro.
 
Património natural: bosques, florestas, miradouros, ribeiras, rios, fontes, vales, planícies, colinas e praia fluvial.
 
Vale a pena subir aos locais de maior altitude da freguesia, pois ela é prodigiosa em miradouros naturais, atendendo à sua situação privilegiada: as Barreiras do Campo, com panorâmica sobre Ceira e Quinta da Conraria; a Quinta da Madalena, o Casal de S. João e Santa Luzia são sítios com vistas soberbas sobre Coimbra; do local da antiga Torre de Defesa Medieval, em Castelo Viegas, vislumbramos a aldeia de Castelo Viegas e a sua área envolvente.
Uma grande riqueza de Castelo Viegas é a extensa área coberta de vegetação que faz as delícias de quem por lá passeia, constituindo um motivo de orgulho da população. O ambiente é preocupação dos autarcas locais que, conjuntamente com a população e instituições, colaboram no desenvolvimento sustentável que contempla a preservação do ambiente. 
O clima é temperado mediterrâneo, tendo invernos moderados e chuvosos, sendo os verões quentes e secos.
A freguesia tem um relevo ondulado, com colinas, vales e algumas planícies de aluviões do Mondego e do Ceira. Os tipos de rochas dominantes são de origem sedimentar como o grés, que aflora na Conraria e em Castelo Viegas, e os calcários nos Pereiros e no Casal de S. João. 
É uma área de paisagem com características rurais, drenada pela rede hidrográfica do Mondego, de que fazem parte os rios Ceira e Corvo, servindo estas linhas de água de limite natural, nalguns locais.
 
Existe um Parque de Merendas, junto à foz do Ceira, que é propício para piqueniques, convidando a uma pescaria e a um banho no rio.
Os adeptos da natureza encontram aqui um verdadeiro paraíso, principalmente para os que apreciam caminhadas pelo campo, onde não faltam elementos de rara beleza: rios e ribeiras com cascatas, colinas cobertas de pinheiros, eucaliptos, carvalhos, sobreiros, estevas, urze e rosmaninho.
Os caçadores dispõem de uma Reserva de Caça Associativa, com uma área considerável, onde podem caçar várias espécies.
O artesanato é uma actividade que tem especial interesse nesta freguesia, uma vez que as artesãs tecem em tear manual peças como tapetes e colchas, utilizando fibras naturais, de preferência algodão e lã, existindo preocupação em formar novas artesãs, havendo transmissão de saberes ancestrais.